Petitsofie

Empatia, como ensinarmos nossos filhos a ter!!!

Olá Pessoal,

Fiquei muito feliz com a repercussão do post sobre Limites e resolvi falar um pouquinho sobre um dos subtemas que tinha dentro dele que é a EMPATIA!

Hoje essa habilidade socioemocional é considerada a principal competência do mundo moderno.

Em tempos de internet e de escassez de relações interpessoais e deficiência nos programas socioemocionais na maioria das escolas , esse aprendizado acaba ficando a cargo da vida cotidiana, isso quer dizer, da família. Por isso nós pais temos que ficar atentos a essa prioridade na vida dos nossos filhos.

A empatia, que é a capacidade de se colocar no lugar do outro, enxergar o mundo pelo seus olhos e compartilhar seus sentimentos, é a principal habilidade socioemocional e precisa ser desenvolvida de maneira prioritária para que tenhamos famílias, e consequentemente sociedades mais saudáveis e felizes. Guerras, intolerância, preconceitos, violência, entre outros problemas, poderiam ser evitados se estivéssemos mais conectados emocionalmente com outro.

O primeiro passo no desenvolvimento da empatia é o de compreender sentimentos. Quando as crianças chegam, com 3 anos, com pouca vivência fora do ambiente familiar, percebemos que elas veem as coisas sob uma perspectiva individualista. Depois que passam a integrar em ambientes com mais crianças e pessoas que saem do circulo familiar , elas aprendem a perceber o outro e as diferentes realidades, a esperar sua vez de falar, a dividir espaços e a ajudar o amigo. A leitura de histórias e a identificação com personagens dão um impulso no imaginário necessário para a criança se reconhecer e se colocar no lugar do outro.

Desenvolver a empatia tornou-se tão urgente que o item já está entre as dez competências gerais da nova Base Nacional Comum Curricular, que diz:

  • AUTOCONHECIEMNTO E AUTOCUIDADO – conhecer-se, compreender-se na diversidade humana e apreciar-se para cuidar da saúde física e emocional, reconhecendo suas emoções e a dos outros com autocrítica e capacidade para lidar com elas.
  • EMPATIA E COOPERAÇÃO – exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação para fazer-se respeitar e promover o respeito ao outro e aos direitos humanos, com acolhimento e valorização da diversidade, sem preconceitos de qualquer natureza.
  • RESPONSABILIDADE E CIDADANIA – agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação para tomar decisões com base em princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários.

Fiquei particularmente feliz quando no início do ano letivo de 2018 o colégio da minha filha mais velha, que é um colégio tradicional e conteudista trouxe essa questão de forma tão incisiva, se comprometendo fortemente em ajudar nós pais nessa tarefa de se colocar lugar do outro. E senti durante esse ano uma grande mudança no comportamento geral das crianças que se relacionam com a minha filha, o que me deixa muito aliviada e feliz por estarmos construindo um futuro com crianças mais seguras, mais humanas e mais preparadas para saberem lhe dar com as frustrações sem reagir com violência e intolerância.

Para quem quiser saber mais sobre o assunto, abaixo segue dica de livros incríveis:

    • Livro INTELIGENCIA EMOCIONAL (Daniel Goleman)
    • Livro ALIMENTE BEM SUAS EMOÇÕES ( Dra Gisela Savioli)
  • Livro ATIVIDADES PARA O DESENVOLVIMENTO DA INTELIGÊNCIA EMOCIONAL NAS CRIANÇAS (GROP)

Referências – Revista VIVA, Exame, Você S/A e G1

Até Breve,

Petit Bisou ?

Temas relacionados

Deixe um comentário