Petitsofie

Chair

Limites... Como dosar?!!!

Olá Pessoal…

Ouvi uma palestra com a psicóloga e arteterapeuta Bianca Sollero e quero dividir com vocês um pouquinho desse conteúdo, que é bastante polemico e envolve muita gente e como dizemos envolve muito “pitaco” afinal quem nunca ouviu de uma tia, ou sogra ou conhecido ” VOCÊ NÃO DA LIMITES PARA ESSA CRIANÇA” ou ” ESSA CRIANÇA ACHA QUE PODE FAZER TUDO” e nós mães sabemos o quanto isso nos incomoda pois claro sempre fazemos achando que estamos acertando e queremos o melhor para os nossos PETIT, não é mesmo?

Dentro da Educação Criativa tem dois conceitos que andam de mãos dadas com o limite que são o AMOR e a LIBERDADE CRIATIVA.

Não existe educação sem limites. Crianças sem limites se tornam pessoas sem educação, o propósito da educação é promover cidadãos que saibam conviver. Precisamos lembrar que somos produto do meio em que vivemos e cada um tem seu temperamento, cada criança é única e não tem receita de bolo para educa-las de forma igual!

Mas enfim PARA QUE SERVEM OS LIMITES????

Eles servem para nos dar noção do início, meio e fim e para delimitar as coisas. Cuidado com o uso do NÃO, ele deve ser escolhido e não banalizado.

Limite tem a ver com maturidade, não vai adiantar você impor limites ao seu filho (a) de dois anos usando palavras difíceis ou colocando eles para pensar…não existe maturidade, não existe ainda entendimento para ele ficar ali sentando pensando na parede que ele riscou (que afinal para ele foi divertido, rs), por isso a importância de darmos autonomia, em doses homeopáticas assim começará o entendimento do que eles podem e do que eles não podem fazer, isso ajuda a desenvolver a empatia ( se colocar no lugar do outro).

Os limites ajudarão a criança a conhecer seu potencial e a desenvolve-lo ao máximo. Um simples não as vezes abre várias outras opções para as crianças.

Crianças até 2 anos – muita paciência com as birras porque elas ainda não sabem se expressar, para ver sua expressão.

Crianças de 3 até 5 anos – o não é categórico, quando descumprirem o que foi dito mostre suas emoções é importante falarmos das nossas emoções com elas, olhe com cara de triste ou sério e bem sério e fique assim por um tempo, você verá que ela vai começar a perceber que não está tudo bem, se for preciso segure com firmeza (não machucando mas firmeza) e deixe ela olhar seu rosto. Faça espelhamento, fale chorando com ela por exemplo.

Crianças 6 e 7 anos – Contextualize o não, ajude a criança a expressar o que sente.

Crianças de 8 até 12 anos – Já deve existir autonomia incorpore a autoavaliação e a noção de consequência (na autoavaliação você pode fazer um quadro de tarefas diárias onde a própria criança coloque o adesivo verde ou da cor que escolher para a atividade que foi feita e adesivo preto ou vermelho para a tarefa que não foi feita)

Vamos respirar fundo e respeitar também os limites dos nossos filhos, inclusive nas dificuldades! Não é fácil e não podemos desistir, certo?!

E aí, gostaram? Vamos falar mais sobre o assunto, comente ai em baixo sua experiência com limites, deixe dicas, sugestões, compartilhe!

Sugestões de Livros

♥ As 5 Linguagens do Amor  das Crianças (Gary Chapman E Ross Campbell)

♥ Nova Terra Nova Raça Humana Índigos e Cristais (Monica de Medeiros)

♥ Blog – Liberte Seus Dons

Créditos – foto Felipe meu caçula de 2 anos na foto com seu bico de pura birra

Até Breve

Petit Bisou?